quarta-feira, 27 de outubro de 2010

Discussão sobre Orçamento

E não há acordo para ninguém!

Com acusações de parte a parte e com Conselho de Estado marcado por Cavaco Silva para sexta-feira, falharam redondamente as negociações entre o Governo e o PSD para validar o Orçamento de Estado. Eu tenho uma ideia, um molly maid político! Era varrer aquela malta toda, aplicar uma lixívia potente que permita eliminar tudo o que é sujidade e manchas (tipo cillit bang), e deixar uns dias as janelas abertas para arejar! Depois fazíamos um casting, tipo Ídolos, para um novo reality show que teria como base criar um novo governo e também, uma nova oposição (essa também não se safa, tenham dó!): "Queres ser o próximo Ídolo Político de Portugal?". Colocá-los todos na mesma casa com câmaras seria útil, ora vejam: era tudo mais transparente porque víamos tudo, e fechados a 7 chaves, que remédio tinham eles em se entender!

Relato das negociações para o Orçamento de Estado

É como o pisca do carro: agora há acordo, agora não há acordo; agora parece que há quase acordo, agora parece que já não vai haver; agora já há fumo branco, agora há fumo negro; agora sim, agora não; agora está quente, agora está frio... Senhores, já estou mais zonza do que se estivesse a assistir a um jogo de ténis!

terça-feira, 26 de outubro de 2010

O Zeppelin

O Zepellin foi mais uma daquelas grandes invenções que ficaram com o nome do seu inventor. Neste caso foi o conde Ferdinand Von Zeppelin, na Alemanha. É um meio de transporte que me fascina, principalmente pela sua dimensão e história. Não sabia, mas ao que parece este dirigível era muito usado para fazer travessias transatlânticas com passageiros, na década de 1930. Tenho pena de não ter vivido nessa época e de ter feito uma viagem dessas, devia de ser mais assustador do que a passagem do terror na feira popular de Lisboa, e mais demorado, óbvio. Esta imagem mostra o Graf Zeppelin em Pernambuco, em 1932 (fonte: Wikipedia). O primeiro voo transatlântico, no entanto, foi entre Frankfurt e Nova York, tendo durado 112 horas! E ainda refilam com o que demoram de avião? Meus caros, não queiram ir de Zeppelin! De referir que o Empire State Building foi inicialmente projectado para ser um terminal e zeppelin-porto, inventando a designação.

Tinha ideia que devia de ser assustador, mas dizem que o espaço interior era muito confortável e até tinha camarotes. Ainda assim, e de acordo com a única coisa que sabia sobre o Zeppelin, um dia ele veio abaixo. Ao que parece, o novo modelo, Hindenburg, era maior e precisava de muito mais hélio do que o normal, no entanto, e com problemas de embargo com os EUA, principal fornecedor desse gás, a empresa terá optado pelo hidrogénio. Um ano depois desta opção e depois de chegar do outro lado do Atlântico, o Zeppelin incendiou-se e ficou destruído muito rapidamente.

Ao que consta, não foi este acidente que terá tirado o Zeppelin do mercado, mas sim o início da guerra e por motivos políticos. E assim desapareceu o balão esquisito... E muito mais coisas com a guerra, mas isso é outra história...

segunda-feira, 25 de outubro de 2010

Operações fantásticas!

Adoro os nomes que a nossa PJ dá às suas operações. Hoje terminou com sucesso a operação "Caverna do Tesouro" em que foram apreendidos quadros falsos de autores como Picasso, Miró ou Leonardo Da Vinci. Mas já tivemos nomes como "Primavera Adiada"; "Face Oculta"; "Apito Dourado" - tão famosos -; "Erva Daninha"; "Guns'n'Roses" (esta eu percebo bem); "Operação Ferrugem"; "Operação Tupperware", entre outros. Eu gostava de trabalhar na PJ só para inventar os nomes das operações... Podia inventar a operação busca-busca, a operação bate e foge... Enfim, é um mar de possibilidades!

A União Zoófila precisa de ajuda!

Para comprovar que não venho aqui só refilar, venho hoje fazer um apelo: A União Zoófila (UZ) precisa de comidinha para os seus canitos e gatitos! Vejam o que podem fazer no site da UZ!

sexta-feira, 22 de outubro de 2010

Desabafos: Aumentos na Auto-Europa

António Chora, da comissão de trabalhadores da Auto-Europa, lutou para que o aumento fosse de 3.9%. Se eles têm um Chora e dá nisto, eu quero um chorão!

Whatever...: E se?

E se o FMI viesse a Portugal? E então? Será que assim teríamos medidas justas que chegassem a todo os quadros da sociedade - principalmente os mais abastados? Está comprovado que sozinhos, governados por imbecis não chegamos lá. E como já temos a mania de importar tudo, importavamos alguém para zelar por nós!

segunda-feira, 18 de outubro de 2010

Whatever...: Paz e Amor

Depois do manifesto, prometo paz e amor.
Não destilarei, a não ser que me provoquem!
Não maltratarei, a não ser que estritamente necessário!
Não resmungarei, a não ser que seja para me irem ao bolso!
Não me queixarei, vou ignorar e viver em Paz e Amor! (Paz, paz paz... nos nossos rabiosques...)

Manifesto

Como é possível olhar para tudo isto e ficar em silêncio? Como é possível ligar as televisões e todos os dias e ver o nascimento de uma nova barbaridade, a que pomposamente chamam de medida de austeridade? Como é possível sermos um país de tão brandos costumes? Quando é que será suficiente para nos revoltarmos e pedirmos respeito pelo povo? E quem me responde a estas perguntas? Ninguém... Porque ninguém quer saber. Estamos todos à espera que alguém faça alguma coisa, que o vizinho do lado reclame, que se juntem todos e se manifestem, mas eu não, eu não vou lá, eu não faço nada... E com este pensamento ficamos todos em casa, a reclamar alto, mas sozinhos. A dizer o que devia ser e o que devia não ser, mas sem ninguém a ouvir.

Acredito que existem mentes brilhantes neste país. Acredito que existem pessoas com ideias capazes de reestruturar este país e fazê-lo avançar. No entanto sinto-me descrente com a massa política. Em tempos fui ingénua e achava que eles sabiam o que fazer e que zelavam por nós. Tretas. Ninguém quer saber de ninguém, querem saber deles e dos seus amigos. Querem criar empresas para os amigos, os jobs for the boys. Eu não acreditava que isso existia, até agora. Comecei a achar estranho, os ex-políticos têm sempre onde cair quando saem da política. Porquê? Porque é que não existem oportunidades para os jovens brilhantes que sabem gerir, que estiveram lá fora, que sabem o que fazem? Não, é melhor arranjar qualquer coisa para os amigos. Os jovens inteligentes? Deixem-nos ir para fora, eles que estudem na Sorbone ou que façam estágios em grandes empresas em Londres, onde o seu mérito é reconhecido.

Para onde caminhamos quando as medidas de austeridade são de tão curto prazo? Estamos a pedir dinheiro emprestado ao futuro! E para o ano, mais do mesmo? Quando é que penalizam os grandes e os muito grandes? Quando é que apostam em medidas estruturais que alterem o modelo de produtividade do país? Quando é que apostam na produção nacional e aumentam as exportações, diminuindo as importações?

Porque é que temos de ser penalizados na factura da electricidade para salvar a RTP? É algum Banco que precisa de ser salvo? Se a RTP for à vida nós sobrevivemos melhor do que se for um Banco! Aumentar o IVA do leite só porque é achocolatado? E das conservas? Mas anda tudo louco e ninguém vê? Porque se é necessário salvar o país, então meus caros políticos, não o tivessem colocado na guilhotina! Sim, porque desbarataram o país, geriram mal os fundos na União Europeia, compraram submarinos e agora nós é que temos de esvaziar os bolsos! Temos pessoas com fome! Pessoas que recebem subsídios e não deviam receber! Salários pornográficos! Reformas ainda mais pornográficas e cumulativas! Mudem isso! Sejam uns homenzinhos, sejam Portugueses, mas não desse tipo que têm sido. Sejam os Portugueses que saíram nuns batéis sem medos nem temores! Sejam sérios! Aniquilem o velho do restelo e provém que ele está errado! Não voltem a parar perante o ouro do Brasil, os fundos da União Europeia ou outros facilitismos! Mexam-se, façam e acontecerá!

sexta-feira, 15 de outubro de 2010

Inimigo público em pobrezinho: O caso de sucesso da Vaselina

A venda da vaselina em Portugal tem sofrido aumentos consideráveis desde que começaram as notícias sobre as medidas de austeridade. O caso de sucesso é tão grandioso que se regista também em países como a Espanha, a Grécia e a Irlanda, mas não tanto como no nosso país.

As filas nas farmácias e para-farmácias não pára de aumentar e encontrámos um indíviduo que tinha tirado a senha número 234 às 7h da manhã: "Estou aqui desde as 7h da manhã, muito aflito, mal me aguento em pé e nada de avançar!"

Ao que o 2 conseguiu apurar, o Governo está a ponderar, inclusivé, diminuir o IVA associado ao produto que poderá atingir o mínimo histórico de 1%.

quinta-feira, 14 de outubro de 2010

Whatever: Mãe Querida Versus Prof. Marcelo








É com extremo pesar e profundo receio de represálias familiares, que partilho convosco o seguinte: o Prof. Marcelo " Sou mais rápido a virar  livros que o Petit a virar rótulas" Rebelo de Sousa, no seu mais recente número de stand up semanal (a.k.a. TVI Jornal) fez-me lembrar a minha mãe! ( Deus mantenha a minha mãezinha tão próxima da blogosfera como o Jorge Jesus está da Gramática do Lindley Cintra. Acho que ela não ia resistir a este golpe...) Passo a explicar:

Estamos perto do Natal, que é como quem diz, meados de Outubro. De forma subtil a minha mãe pergunta:

Já sabes o que é que vais fazer no Natal? Não? Não é que eu me queira meter. Tu fazes como quiseres, filha. É só para saber se tens um bocadinho para vires cá a casa, mas tu é que sabes. Tu vê lá, faz como quiseres! Só se puderes.

Tradução:

Se não apareces cá em casa no Natal, só me voltas a ver os dentes no dia em que a Paris Hilton ganhar um Nobel da Literatura!

A forma como o douto comentador "aconselhou" Pedro Passos Coelho a "engolir" o Orçamento padece do mesmo grau de subtileza, a meu ver. Passo a citar:

«Há um risco de colapso financeiro. E quando há esse risco o que se pede ao líder da oposição é que pense duas vezes nas consequências do seu sentido de voto»

Tradução:

Pedro Passos Coelho: Posso vetar o Orçamento?
Marcelo Rebelo de Sousa: Podes.
Pedro Passos Coelho: Mas, devo fazê-lo?
Marcelo Rebelo de Sousa: Não.
Pedro Passos Coelho: Mas assim estou a contradizer-me!
Marcelo Rebelo de Sousa: Pois estás.
Pedro Passos Coelho: E o que é que me acontece?
Marcelo Rebelo de Sousa: Nada!

Correcção: Nada, não. Provavelmente recebe S. Bento como medalha de bom comportamento.

P.S.: Acabei de perceber que fruto desta analogia, minha mãe está para o Marcelo, como eu... Como eu... Estou para o Pedro Passos Coelho! Levem-me rapidamente para um divã e convoquem um discípulo de Freud, com carácter de urgência. Caso contrário, favor retirar todos os objectos cortantes do meu alcance...

terça-feira, 12 de outubro de 2010

Whatever...: Perdidos no Mundo

Como eu gosto muito de datas, faz hoje anos que o Colombo deu com as Bahamas e achava que estava na Índia! Também já me aconteceu. Pensava que estava na Tugaria e afinal tou na República das bananas!

Desabafos: Traffic

Alguém me consegue explicar o trânsito em Portugal? Uns dias há; noutros há porque chove; noutros chove e achamos que vai haver e não há; and so on...

Depois, com trânsito encontramos tudo:

- Os pioneiros, que fazem o trânsito porque demoram 4 dias a avançar numa rotunda ou deixam o equivalente a 5 carros de distância do carro da frente;

- Os espertinhos que vão mudando de faixa numa tentativa desesperada de alcançar o destino e aos quais normalmente é aplicada a lei de Murphy: a faixa do lado anda mais, eu mudo de faixa, ela vai andar menos;

- A malta que aproveita para fazer uma limpeza profunda à sua cavidade nasal e que de vez em quando se baixa para colocar o material tóxico debaixo do banco do carro;

- Aquelas que ainda vão a colocar o rimel ou os que ainda vão às dentadas no pãozinho;

- E aqueles, onde me enquadro, que vão a ouvir o Portugalex e vão a rir sozinhos no carro com o ar mais ensandecido do mundo.

De Inverno há um aumento exponencial de carros avariados, com sorte na berma, com azar no meio da faixa da esquerda, e também acidentados. Se o Português não fosse mórbido e não abrandasse para ver o estrago, a coisa ainda rolava, mas não, a malta gosta de ver sangue e vai devagarinho para ter uma história para contar quando chegar ao escritório... atrasado!!!

quinta-feira, 7 de outubro de 2010

Whatever...: GNR em Portugal

Diz que ontem vieram cá os Guns n' Roses. Não fosse eu uma pessoa que gosta de ler jornais e não sabia de nada. Sim, eu assumo, houve uma fase em que eu gostava de GNR, e sim, eu tinha 9 anos quando o Use your Ilusion foi lançado e a minha irmã tinha o LP. Será que isto conta para stress pós-traumático? Talvez não, eu era de facto muito nova e vibrava com o November Rain só porque faço anos em Novembro.

Diz também que demoraram cerca de hora e meia para entrar em palco. A questão que fica é: como é que ainda conseguem ter tiques de estrelas? Hello?

Encontrei uma lista de exigências da banda, que vos deixo aqui:

1) Camarins inteiramente negros e decorados com rosas frescas, 18 vermelhas e 18 brancas.

2) Champanhe

3) Vodka

4) Tequila (Patron Anejo)

5) Vinho Tinto

6) Cerveja (6 x Lucky Budha, Grolsch e Checkvar)

7) O quarto deve ter luzes opacas

8) Uma cama

9) Um sofá

10) Uma "coffee table"

11) 6 candeeiros e um tapete

12) Guardanapos pretos

13) Um liquidificador

14) Uma máquina de sumos

15) Uma chaleira

16) Lenços de papel

17) 18 copos (para vinho e champanhe)

18) 15 copos para coquetéis

19) 40 copos de papel

20) 6 faqueiros

21) 2 saca-rolhas e abre-latas

22) Facas para pão: 1 grande e 2 pequenas

23) Sal e pimenta

24) Azeite

25) Vinagre balsâmico

26) Molho de soja

27) 2 frascos de mel em forma de urso

28) Coquetel com tequila Jose Cuervo

29) Red Bull

30) Coca-Cola

31) 7 Up

32) Uma embalagem de sumo de laranja

33) Água mineral de marcas Pellegrino e Smart Water

34) Fruta: bananas, maçãs, morangos, amoras, melancias, mangas and uvas

35) Vegetais mistos: cenoura, aipo, pepinos

36) Vários tipos de bolachas "crackers"

37) 7 tipos de queijo

38) Compota

39) Condimentos: maionese, ketchup, mostarda

40) Pão de forma

41) Ao jantar: frango assado, 2 postas de filet mignon mal passadas, uma salada "Cesar", 4 cheeseburgers e uma salada de espinafres

Quero fazer um apontamento sobre o número 27: frascos de mel em forma de urso. Oi? Sim, em forma de urso. Devem ser fãns do Winnie the Poo. Tudo o resto eu ainda acho normal. Agora, frascos em forma de ursos? E será que tem de ser um urso especial?

quarta-feira, 6 de outubro de 2010

Desabafos: Novela da TVI nomeada para Emmy

Não sei se rio, se choro! Mas é mesmo verdade! E vai agora lutar pelo Emmy contra uma novela Argentina e outra Filipina! É mesmo!

Whatever...: Pedido de ajuda

Alguém me consegue arranjar uma foto da entrevista do treinador do Sporting, no Beira Mar, na Segunda-feira? Viram aquele pacote de tostas à frente dele? Mini-grill?

segunda-feira, 4 de outubro de 2010

Whatever...: Parabéns ao Sputnik!

Caros leitores, é com muito gosto que anuncio o aniversário do lançamento do Sputnik I! Fazem hoje 53 anos que o dito foi lançado ao espaço. Sem ele, os tampões seriam apenas conhecidos como tampões, o que não teria graça nenhuma...

domingo, 3 de outubro de 2010

Críticas: Meos amigos, vamos lá com calma!

Não sei se já vos disse, mas detesto a Meo, o problema é que também detesto a Zon. São dois irmãos gémeos separados à nascença que, embora tenham seguido caminhos separados são tão iguais que podiam estar numa novela da TVI.

Não tenho telefone, o meu serviço Meo baseia-se em Internet e Tv. Nada mais simples, pacote básico, sem grandes luxos, nem Sportv nem canal de mulher despida. Poderia parecer simples e fácil, uma relação para todo o sempre, mas não. Assinar um contrato com uma empresa destas é semelhante a um casamento: os altos e baixos existem, as discussões inflamadas também. Ah, e o processo de divórcio também é complexo, doloroso e mete uma série de papelada.

Antes de ter ficado com vontade de me divorciar da Meo, vivemos momentos felizes. A Internet era um pouco frouxa, às vezes até não se aguentava em pé, mas cumpria o seu papel e eu ficava satisfeita. Os seus canais, embora básicos, iam me entretendo em noites chuvosas em que era eu, Meo e um sofá.

Aos poucos a Internet deixou de me satisfazer. Sem fios e sem estar muito longe do seu amigo router, andava sempre em baixo. Clicava eu no estado da ligação e ele dizia muito tristonho: "estou em baixo, hoje não dá para mais...". Fiquei infeliz e enviei um e-mail para o centro de apoio que, passados uns 15 dias, me deu uma série de mezinhas para resolver o meu problema e tentar recuperar a pujança da minha ligação.

A Internet foi sempre funcionando, embora em baixo de forma... Um dia deixou mesmo de dar sinal e eu cometi o meu primeiro grande erro da relação: liguei para o centro de apoio! Começou uma longa novela.

Ora, quando ligamos para o centro de apoio, o que é que a gravação pede? O número de telefone do serviço. Pois, qual telefone se eu não tenho telefone? Também pede o número de serviço que está na factura. Enquanto alcançamos a factura já estamos a arder com uns 2€ no telemóvel... Lá colocamos o malogrado número e a gravação indica que temos de colocar novamente, pois o indicado não está correcto! Mais uma tentativa e como não assume, transfere a chamada para um ser que está do outro lado de lá do telefone e que normalmente tem sempre uma voz muito fatigada.

Pedem elementos para nos identificarmos e nós começamos a fazer as queixinhas sobre a nossa relação. Eles dizem compreender o nosso sofrimento e fazem uns testes (eu acho que não fazem nada, estão lá a jogar à sardinha uns com os outros enquanto dizem que estão a fazer testes!).

A seguir vem uma série de ordens para cumprir: Sr.ª D. Ananicas, desligue o router no botão; mude o fio amarelo de sítio; desligue a box; agora corra até à outra divisão e faça o kick-sizing on the double back no seu PC; agora corra e ligue o router; agora vamos esperar 2 minutos enquanto as luzes do router piscam e você gasta dinheiro; agora diga-me se resultou, não resultou? Ah, então vamos fazer tudo de novo... E eu desesperada pergunto, mas não me podem ligar, eu estou a ficar sem dinheiro no telemóvel! Não, não podem, não estão autorizados! E pumba, chamada caiu. Nova tentativa de outro telemóvel também à beira do colapso financeiro: Posso voltar a falar com o Não Sei Quantinhas, é seu colega e a chamada caiu porque não tenho dinheiro no telemóvel... "Ah, não, não podemos ligar de volta, mas eu vou ajudar". E lá está, vamos contar a história toda, novamente!

Claro que fiquei outra vez sem dinheiro no telemóvel e entretanto, não sei onde mexi, mas fiquei com Internet no PC e graças àquelas brilhantes cabeças, sem Internet no portátil... Boa! Reclamei, claro, por e-mail. Querem uma dica? Dêem conhecimento à Anacom. Não vale de nada referir a DECO, essa não mete medo a ninguém, é como se fosse a nossa sogra a proteger o seu filhinho!

Ainda com esta reclamação pendente, fiquei sem Internet e sem Tv esta semana... Vou poupar os detalhes, o que aconteceu foi basicamente o mesmo, excepto o facto de não ter ficado sem dinheiro no telemóvel. Desta vez, após 15 minutos a falar com os carolas de primeira linha, transferiram-me para uma outra área que, imaginem a benesse, já nos podem telefonar! Grande avanço hein! Vou ter de fazer mais uma reclamação porque entretanto deixaram-me pendurada entre transferências de chamadas e pelo menos 12€ de telemóvel foram à vida.

Claro que estava inocente, era a Meo que estava com problemas e eu fiquei sem serviço durante uma diazinho. Quero ver se vão descontar alguma coisa na factura! Relações destas? Puff, só servem para gastar dinheiro!

Portanto, meus caros, se tiverem algum problema, falem comigo, fiquei expert em desliga botão, muda fio, espera pela luz que pisca... Relacionamentos destes é comigo!

sábado, 2 de outubro de 2010

Sobre o post do seguidor...

Para que as vossas caximónias, vulgo cabecinhas, tenham tempo para carburar, vamos prolongar o envio das vossas participações!

sexta-feira, 1 de outubro de 2010

Whatever...: Raiva

“Raiva é um sentimento de protesto, insegurança, timidez ou frustração, contra alguém ou alguma coisa, que se exterioriza quando o ego sente-se ferido ou ameaçado. A intensidade da raiva, ou a sua ausência, difere entre as pessoas.” – Wikipedia.

A minha hoje está nos seus mais elevados níveis. E as consequências são: violência verbal, física, ódio ou comportamento agressivo... Do not talk to me...