segunda-feira, 29 de novembro de 2010

Ele há com cada um!

Eu acho que há malta que não tem nada para fazer e têm muito fel nas vísceras! Que a malta não goste que o outro pisque o olho no fim do Telejornal ainda é naquela! Agora dar-me ao trabalho de me queixar disso ao Provedor do Cliente... WOW!

quinta-feira, 25 de novembro de 2010

E a grave pah? Parte 2

Também considero que seria útil distinguir quem fez greve, quem não trabalhou porque não tinha transportes e quem teve de ficar em casa porque os filhos não tiveram aulas... Será que tudo o que foi malta que não trabalhou fez greve? Vai na volta incluíram os que estão de baixa! hehe!

Outra, porque é que os principais dirigentes sindicais deste país vão para um local onde os salários vão sofrer aumentos de 3.9%? Porque não foram para os locais de trabalho da função pública? Afinal esses sim vão sofrer cortes salariais.. Não entendo! Concordo com a greve, acho que cada um deve ter livre arbítrio para decidir sobre isso - acho os piquetes de greve rídiculos - e acho muito bem que haja contestação, afinal somos muito brandos no que toca à refilice. Mas façam as coisas como deve ser...

E a greve pah?

Dizem que foi um sucesso e que obriga o Governo a dialogar. Eu digo: não fui afectada pela greve, trabalhei e nem a vi de soslaio. Mais, dialogar com o Governo? Nem que peçam ao Pai Natal e muito menos em caso de ganharem o Euromilhões isso vai ser possível!

Para mim, pessoa pouco experiente neste campo que é a vida profissional sindicalizada e coroada pela contestação, acho que a única forma do país se safar é a trabalhar! No duro! Não há cá? Vamos criar emprego! Ou vamos temporariamente lá para fora e trazer dinheirinho com as remessas (que assim o país safa-se sem ter de se chatear muito... Como antigamente, sabem?)

Este país está habituado a fazer asneira. Mal iniciámos o nosso esforço de desenvolvimento industrial, pumba, descobrem ouro no Brasil! Assim já não foi preciso trabalhar! Hoje é o mesmo, sendo o ouro as remessas ou os subsídios que por aí andam, para pequenos e para graúdos, sejam os de inserção social, sejam as ajudas dos FMI's desta vida e da UE. E quem se lixa? Meus caros, é sempre o mexilhão!!

quarta-feira, 24 de novembro de 2010

As esposas da Geórgia

Claro que o 2 não poderia deixar de comentar o mini-escândalo abafado, das meninas convidadas para uma festinha num hotel de luxo, pela comitiva georgiana. Diz que a comitiva da Geórgia que esteve na Cimeira da NATO, mais uns quantos da comitiva da Arménia, se fizeram acompanhar por 80 prostitutas e que as senhoras entraram no hotel como sendo suas esposas. Parece então, que a Cimeira fez esgotar a lotação de hotéis e não só! Já imagino as senhoras a entrarem bem pomposas no hotel com os seus maridos de empréstimo a dizer "Na Geórgia as mulheres vestem-se de forma muito própria!".

Certo é que só sabemos disto porque o barulho foi tanto que a comitiva francesa fez queixa! O hotel conseguiu resolver calmamente a situação e cabe-me salientar que, se os media dizem 80, devem ter sido 10... Já sabemos que quem conta um conto...

segunda-feira, 22 de novembro de 2010

Vá pelos seus dedos...

Despedimento colectivo nas Páginas Amarelas! Ao que 2 apurou, em vez de "vá pelos seus dedos", a administração disse "vá pelos seus pés"... Ou melhor, deram com os pés! Parece que a moda ficou para ficar. Resta saber que de facto está aflito e despede os seus funcionários esgotando todas as possibilidades, e quem se está a aprovaitar da tal da crise para se por na alheta com uns trocos a mais no bolso...

quinta-feira, 18 de novembro de 2010

A Cimeira

Cá estamos nós, portuguesinhos, à beira da Cimeira da Nato. A organização deste evento em Portugal poderia ser interpretada como uma coisa fabulosa para o nosso país, e em algumas situações é. Em outras não, de todo. De salientar e aplaudir que esta é a primeira cimeira da Nato em que os convidados pagam as suas despesas de deslocação e estadia. Acho óptimo, pois aposto que já estamos a entrar com muito para catering, segurança, entre outros.

Crítica fundamental: As restrições. Compreendo a necessidade de segurança e de isolamento do espaço onde se realiza a Cimeira. Daí até perturbar toda a cidade... Acabei de ler que vamos ter perturbações na CP. Na CP? Será na Estação do Oriente, perguntam-me, não, não é e refiro que também vão existir perturbações na Carris.

O mais interessante disto tudo: as delegações dos convidados vão estar instaladas em grandes hóteis por toda a Lisboa, quer isto dizer que vamos estar encurralados em qualquer avenida, rua ou praceta da grande cidade? Mais, num país onde a falta de produtividade é um problema e um entrave para a economia, vai haver uma tolerância de ponto? Existe isso nos outros sítios onde organizaram outras cimeiras a este nível? Aplaudi a decisão da Câmara de Lisboa de não aceitar a tolerância, vamos a trabalhar, que é isto que o povo precisa!

quarta-feira, 17 de novembro de 2010

sexta-feira, 12 de novembro de 2010

Então e eu?

Estou chateada, o Godinho gastou mais de um milhão em presente e eu nada! Puxa! Na lista estão coisas que me fazem tanta falta, como a árvore de Natal, por exemplo! Que chatice ser pobre e não conhecer um sucateiro!

quinta-feira, 11 de novembro de 2010

Ainda sobre o IVA, parte II

No seguimento da informação avançada pela Revista Sábado e expressa no nosso blog, ao que o 2 conseguiu apurar, o leite, companheiro de vida do cereal de pequeno almoço, vai igualmente fazer greve contra o aumento do IVA dirigido ao seu amigo. A juntar-se o pão ficamos sem ideias para comer de manhã!

O adeus final.

Faleceu o Senhor do Adeus. A primeira vez que o vi no Saldanha foi propositado, demos a volta para lhe esbracejar um grande adeus. E comovi-me. Eu, o grande coração empedernido que era. Disse adeus com muita energia, e foi isso que recebi de volta. E não era só dizer adeus, ele baixava-se para ver a quem acenava. Nunca me esquecerei desse momento especial. Obrigada, e adeus para ti, homem especial.

Dia de São Martinho!

Hoje é dia de São Martinho, ou Magusto, dia regado em Portugal por jeropiga e água pé e com umas quantas castanhas para ensopar! Reza a lenda (adoro esta frase mítica, reza a lenda!) que um militar a prestar serviço na actual França, de seu nome Martinho e lá para os anos 300 e tal, encontrou no seu caminho um mendigo cheio de frio que lhe pediu esmola. O senhor, como não tinha esmola, rasgou metade do seu manto e dividiu-o com o mendigo. Rapidamente se abriram os céus e se fez calor, instaurando-se o verão de S. Martinho.

Certo é que por esta altura faz sol. Certo é também que a ciência já fez questão de arranjar uma justificação para que o verão de São Martinho deixe de ter uma justificação mística. São uns ventos que vêm e afastam as nuvens e tal. Eu gosto mais da versão mística, apesar de não ser religiosa. a magia destas histórias é muito mais bonita e intensa.

terça-feira, 9 de novembro de 2010

Ainda sobre o IVA

Os cereais de pequeno almoço pedem IVA reduzido, segundo a Sábado. Visão imediata: Cheerios e Chocapics na manif de dia 24: "Os cereais não são banais, e por isso não queremos mais!"..."IVA a menos, cereais para mais!"

domingo, 7 de novembro de 2010

Globo

Se são da minha geração ou próximos, têm de ter um globo destes! A não ser que tenha sido despachado numa arrumação daquelas à séria em que deitamos fora metade da casa. O meu dá luz, atenção, e é mesmo velhinho. O que eu gostava de saber era se também vos acontece pegar no globo, rodar, apontar o dedo e considerar "Sim, eu era pessoa para ir aqui!". Quando era mais pequena fazia-o pela curiosidade geográfica, agora o interesse é outro, embora não seja o mesmo do Príncipe que vai para NY escolhendo o destino através da ponta do dedo. Ele queria encontrar uma rainha, eu quero sonhar que vou a todos os cantos do globo, incluindo aqueles onde o dedo só encontra água.

Viajar é das melhores formas de evoluir, não significando que quem fica não evolui. É claro que temos de ir com essa predisposição. Se vamos com horários rígidos e coração fechado só vamos evoluir no número de museus que visitámos e na quantidade de fotos que trazemos para casa. Eu aposto mais em trazer memórias, trazendo igualmente um número absurdo de fotos, e despachando os museus para quando e se me apetecer.

Gosto especialmente de viver o outro sítio, observar. Dou por mim a achar imensa piada à inexistência de antenas em edifícios, à planta da cidade, às caras das pessoas e tentar decifrar quem é de cá e quem não é. E principalmente, conhecer a gastronomia. Não me venham com tretas nem dietas quando vamos de férias, só o dinheiro me limita quando toca a comida!

Serei só eu a sonhar com o globo de infância?

sexta-feira, 5 de novembro de 2010

Um recadinho

Quero só deixar um recadinho para o FMI e todo o modelo económico capitalista que tende a permanecer no nosso país: vão-se encher de cocó. Numa era em que a vitalidade económica do país se mede mais pelo que se diz do que pelo que se faz, algo está errado na xafarica. Por um lado temos a estrangeirada que nos acha pouco produtivos (com razão) e pouco fléxiveis no mercado de trabalho (eu aí diria que o problema é outro: o encontrar emprego pelos conhecimentos que se tem e não pelas qualidades e capacidades); e por outro temos aquela classe que nos governa, esses, os políticos.

Não querendo ser azeda, devo explicar que, apesar de nunca ter tido cor política (considero-me apartidária por não existir nenhum partido que jogue com o meu), tinha a secreta esperança de que quem lá estava saberia o que andava a fazer. Esta minha ingenuidade acabou quando comecei a pensar melhor nas coisas e quando me tornei num peão no mercado de trabalho.

Hoje penso muito na despesa pública, mais do que devia. Serão reais aqueles e-mails que às vezes recebemos com indicações sobre salários absurdos, reformas pornográficas e regalias escandalosas? Será? De vez em quando sopra qualquer coisinha nos media, mas rapidamente desvanece como se alguém pegasse no jornal e com o ajax fosse limpar janelinhas.

Como diria o outro, e o povo pah? A ser verdade, o povo cala e consente? Continuamos a ser um povo de brandos costumes? Creio que nos falta estrutura, a nível do povo. Estrutura organizativa. Se somos tão bons a organizar o maior bolo do que quer que seja para entrar no Guiness, não conseguimos uma estrutura pública, não politizada para abalar a estrutura política? Deixei de acreditar nos políticos, mas não quero deixar de acreditar nos portugueses.

quarta-feira, 3 de novembro de 2010

O dia de hoje!

Caríssimos, hoje é um dia importante:

- É o Dia Internacional do Homem e ninguém fala nisso, só o da mulher importa e os que dão direito a ficar com a belfa em casa;

- Há 53 anos foi lançada a Laika para o espaço, claro que morreu, aqueles russos são uns mauzões, seja homem, seja animal vai tudo...;

- Faz anos que o Colombo avistou a Ilha Dominica, não sei se será feriado lá...;

- Um elemento do blog faz anos e eu exijo feriado!

Tenho dito.

Amor submerso!

Diz que, sobre o negócio dos submarinos, foi confirmada em Tribunal uma relação amorosa! Seria entre os dois submarinos? Estariam eles amantizados? Que fofinho!

terça-feira, 2 de novembro de 2010

Tampas de esgoto? Diga lá outra vez?

Andam a roubar tampas de esgoto? Tampas? De esgoto? O caso, caricato, acontece em Sintra e num mês foram fanadas 300 tampas de esgoto. Como ainda por cima a Câmara sofreu uma ruptura de stock, alertamos os Sintrenses para o perigo de cair num buraco e seguir até ao mar. Fosse no verão e o problema de estacionamento nas praias de Sintra ficava resolvido! Já antes tínhamos de andar aos zigue-zagues por causa das tampas de esgoto, agora andamos porque elas não estão lá!